As duas formas – percebeste e percebes-te – existem na Língua Portuguesa.

Ou seja, ambas as expressões estão corretas e são formas verbais do verbo perceber mas empregues em diferentes modos.

Percebeste é a segunda pessoa do singular do pretérito perfeito do modo indicativo do verbo.

tu [ percebeste ]

Tu percebeste mal.
Diz-me que percebeste o que te disse.
Nós nunca cá estivemos, percebeste?

Obs:
pretérito perfeito = referente ao passado

A forma percebes-te é uma conjugação pronominal (acompanhado do pronome oblíquo “te”) do verbo – neste caso, no presente do indicativo. O pronome é usado para indicar ações relativas ao sujeito que as pratica ( tu ).

Esta forma (e grafia) (relativa a “tu”) é raramente utilizada, senão nunca; ou então da seguinte forma:

Nem te percebes da tua ignorância.

Mais habitual é percebe-se (relativo a ele, ela, você)

Percebe-se que esse homem é um advogado.